BLOG
as últimas novidades sobre o Grupo STK

  • Segunda, 06 de Agosto de 2018

  • Abicalçados ganha liminar e associados poderão receber 2% do Reintegra

  • O site da Associação Brasileira das industrias de Calçados(Abicalçados) informa:

    "A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) comemora duas vitórias importantes para as calçadistas associadas à entidade. Tratam-se do logro de duas ações coletivas impetradas, a primeira que resultou em liminar que restabelece a alíquota de 2% para restituição do Reintegra - a partir de junho, por decreto, o Governo Federal havia passado a alíquota para 0,1% - e a segunda na liminar que permite a exclusão do ICMS para a base de cálculo do PIS/Cofins.

    A coordenadora da Assessoria Jurídica da Abicalçados, Suély Mühl, destaca que, como trata-se de uma ação coletiva da entidade, somente as empresas associadas poderão usufruir dos benefícios, tanto do restabelecimento do Reintegra quanto da exclusão do ICMS do cálculo do PIS/Cofins. “Empresas que se associarem à Abicalçados também poderão entrar no escopo das ações”, acrescenta a advogada. 
     
    Segundo ela, a medida levou em consideração a ilegalidade da cobrança já em 2018, sem respeitar os prazos de adequação para a nova tributação. “A decisão do Governo foi tomada de uma hora para outra, tirando qualquer possibilidade de previsibilidade para a formação de preço para o mercado externo. Ou seja, como o calçadista iria argumentar com o importador que o produto negociado em maio teria que ter o preço ajustado em função da medida governamental?”, questiona Suély, ressaltando que empresas associadas à Abicalçados ainda poderão solicitar à Receita Federal o ressarcimento dos valores cobrados indevidamente desde junho, na diferença de 1,9%. 
     
    Entenda 
    Criado em 2011, durante o governo da presidente Dilma Rousseff, o Reintegra busca compensar as excessivas tributações de produtos exportados por meio da restituição de um determinado percentual sobre a receita das vendas para o exterior. O objetivo do projeto é criar maiores condições de competitividade para a indústria nacional. 
     
    Quando criado, o mecanismo previa a restituição de 3%, alíquota que foi diminuindo governo após governo até chegar à alíquota proposta pelo atual, de 0,1%, que, devido à ação coletiva da Abicalçados, só poderá ser cobrada a partir de 2019
     
    Mais informações sobre o tema podem ser obtidas com Suély, pelo telefone 51 3594 7011 (Ramal 248) ou pelo e-mail suely@abicalcados.com.br. "
     
    Referências:“Abicalçados ganha liminar e associados poderão receber 2% do Reintegra”.Disponível em:”http://www.abicalcados.com.br/noticia/abicalcados-ganha-liminar-e-associados-poderao-receber-2-do-reintegra” Acesso em: 06 de agosto de 2018.
     
     
  • Postado por: TI - STICKFRAN

  • Tags: StickFran, Notícia,


  • Quinta, 02 de Agosto de 2018

  • Portugal foca em calçado de valor agregado

  • O site da Associação Brasileira das industrias de Calçados(Abicalçados) informa:

    "Nesta quarta-feira (1), associados à Abrameq tiveram apresentação de Neori Paim, que representou a entidade no Congresso Internacional do Calçado, que ocorreu em maio, na cidade do Porto, em Portugal. A apresentação ainda contou com as colaborações de Átalo Zille, da calçados Beira Rio, e Roberta Ramos, da Abicalçados, que também participaram do congresso.

    O evento oportunizou três dias de visitas a indústrias calçadistas de Portugal, que é 11º maior produtor de sapatos do mundo, com 83 milhões de pares anuais, focando em produtos de maior valor agregado, sendo 95% para exportação. E o setor calçadista português pretende elevar a produção em 25% a 30% até 2020. 
     
    Em termos de cadeia produtiva, Roberta, destacou que todos os setores estão em uma entidade, a APICCAPS – Associação Portuguesa dos Industriais de Calçado, Componentes, Artigos de Pele e seus Sucedâneos.Paim, por sua vez, destacou a existência de um centro tecnológico focado em indústria 4.0 e que tem forte interação com as indústrias.
     
    Nas indústrias calçadistas, foram encontradas, principalmente, máquinas italianas e espanholas e não da China. Porém, as áreas de matrizaria e de fôrmas são portuguesas, que inclusive são exportadas para vários países da Europa. O perfil da produção não é muito moderno e com pouco investimento em economia energética, além de pouca automação na área produtiva. O representante da Abrameq observou também que em Portugal há menos exigência do que no Brasil com relação à segurança.
     
    Zille, da Calçados Beira Rio, também participou das ações em Portugal e, na reunião comentou que viu um bom potencial para as máquinas brasileiras naquele país, porque se percebe necessidade do que o Brasil oferece melhor do que qualquer outro. "As máquinas brasileiras são as que melhor atendem às exigências do mercado: tecnologia, qualidade, segurança, flexibilidade, atendendo ao que realmente o calçadista necessita", afirmou o calçadista. Este potencial também foi observado por Paim, que o setor brasileiro de máquinas unido pode alcançar muitos novos mercados.

    Fonte: Abrameq"

    Referências:“Portugal foca em calçado de valor agregado”.Disponível em:”http://www.abicalcados.com.br/noticia/portugal-foca-em-calcado-de-valor-agregado” Acesso em: 02 de agosto de 2018.

     

  • Postado por: TI - STICKFRAN

  • Tags: StickFran, Notícia,


  • Quarta, 01 de Agosto de 2018

  • Feira de calçados norte-americana recebe 17 marcas verde-amarelas

  • O site da Associação Brasileira das industrias de Calçados(Abicalçados) informa:

    "A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido pela entidade em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), levará 17 marcas brasileiras para expor na FN Platform, mostra que acontece em Las Vegas/Estados Unidos entre os dias 13 e 15 de agosto.

    A analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruisa Scheffel, destaca que a mostra é frequentada por qualificados compradores, especialmente dos mercados da América do Norte e Central. Na feira de mesmo período do ano passado foram gerados US$ 6,3 milhões em negócios, porém com um número de participantes maior (31 marcas).
     
    Segundo Ruisa, apesar do mercado apreensivo, especialmente por não saber os efeitos da guerra comercial travada entre Estados Unidos e China, existe uma expectativa positiva para a participação, tanto pela qualificação das marcas brasileiras que estarão apresentados suas coleções de primavera-verão, quanto pelas condições atuais do câmbio, que proporcionam a formação de um preço mais competitivo para o mercado internacional.
     
    O mercado dos Estados Unidos é o segundo maior para o calçado brasileiro no exterior, tendo importado, somente no primeiro semestre de 2018, quase 5 milhões de pares verde-amarelos. “Também é um mercado que precisa ser trabalhado, especialmente para marca própria, já que a maior parte do embarcado para lá ainda é private label - quando no produto vai a etiqueta do importador”, ressalta, chamando atenção para a importância da manutenção da participação em ações naquele mercado para a promoção de marca.
     

    Participam da FN Platform as marcas brasileiras Rider, Cartago, Ipanema, Zaxy, Schutz, Pampili, Boaonda, Carrano, Vicenza, Klin, Bibi, Capelli Rossi, Werner, Stephanie Classic, Kidy, Magia Teen e Petite Jolie."

    Referências:“Feira de calçados norte-americana recebe 17 marcas verde-amarelas”.Disponível em:”http://www.abicalcados.com.br/noticia/feira-de-calcados-norte-americana-recebe-17-marcas-verde-amarelas” Acesso em: 1 de agosto de 2018.

     

  • Postado por: TI - STICKFRAN

  • Tags: Notícia,


1 2 3 4 5 >  >>
  • BUSCA
  • ARQUIVO